Printer-friendly versionSend to friend
Palestinian Grassroots Anti-apartheid Wall Campaign

Boletim de Notícias em Português– Janeiro/2014

 

Aconteceu esse mês em Porto Alegre e Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil, entre os dias 21 e 26, o Fórum Social Temático cujo tema escolhido é o “Crise Capitalista, Democracia, Justiça Social e Ambiental”. O evento, um ícone do alteromundismo e da luta antineoliberal, anticolonialista e anti-imperialista, é um espaço para a sociedade civil global se organizar e trazer à tona as diversas pautas sociopolíticas que ocorrem, a fim de gerar solidariedade e conexão.

Em 2014, assim como nas edições anteriores, o fórum contou com a presença de diversos grupos e movimentos da sociedade civil do Brasil e do mundo. Entre eles, destacou-se a participação da Campanha Popular Palestina contra o Muro do Apartheid – Stop the Wall, representado na figura do seu Coordenador Jamal Juma e da Coordenadora de Relações Internacionais, Maren Mantovani.

No ano escolhido como o Ano da Solidariedade ao Povo Palestino, a Assembleia dos Movimentos Sociais destacou seu apoio à causa, e durante a fala de encerramento declarou: "Intensifiquemos a luta contra a repressão dos povos e a criminalização dos protestos e dos movimentos sociais mundo afora. Fortaleçamos as ferramentas de solidariedade entre os povos, como o movimento global de boicote, desinvestimentos e sanções contra Israel e a imediata criação de um estado livre palestino". 

Nessa oportunidade, vale destacar três entrevistas realizadas pela mídia brasileira com Jamal, além do artigo publicado pela Carta Capital e redigido pela coordenadora Maren.

 


Assentamentos de Israel e o descrédito frente à comunidade internacional

A campanha de boicote a determinadas empresas ganha força, mas não no Brasil

Por Maren Mantovani — publicado em 17/01/2014 06:06             

“Como relata o Financial Times, por enquanto as autoridades israelenses ainda esperam ter uma saída para isso: "Israel está expandindo seus laços econômicos com a China, Índia e países da América Latina, enquanto as tensões políticas aumentam com a UE, o seu maior parceiro comercial." No Brasil e na América Latina, capitais e contratos ainda fluem para Israel sem nenhuma consideração com o Direito Internacional, os Direitos Humanos ou mesmo com os compromissos políticos, tais como o reconhecimento do estado palestino nas fronteiras de 1967. Produtos provenientes dos assentamentos entram sem limitação.”

http://cartacapital.com.br/internacional/assentamentos-de-israel-e-o-descredito-frente-a-comunidade-internacional-9188.html

 


 “A solução de dois Estados não traz justiça ao povo palestino”, defende Jamal Juma’

Por Débora Fogliatto e Samir Oliveira – Publicado em 27/01/2014 7:43

“Ele acredita que uma solução de dois Estados – em que coexistiram os Estados da Palestina, ainda não existente, e de Israel – não traz justiça a seu povo e é encarada como uma grande concessão. “Claramente Israel não deseja a criação de um Estado Palestino. Yasser Arafat fez uma concessão e abriu mão de 78% de nossas terras históricas por isso, e eles não aceitaram. Eles ainda querem perseguir o que nos sobrou. Eles tornaram essa solução impossível”, reflete.”

http://www.sul21.com.br/jornal/solucao-de-dois-estados-nao-traz-justica-ao-povo-palestino-defende-jamal-juma/

 


Jamal Juma: Primavera Árabe não ajudou Palestina. Situação é insustentável

Em entrevista à Carta Maior, o ativista palestino Jamal Juma fala sobre a situação de seu povo e sobre a realidade política na região pós-Primavera Árabe.

Por: Marco Aurélio Weissheimer Publicado em: 26/01/2014

“2014 é um ano muito importante para a Palestina. Foi retomado um processo de negociação, mas essa negociação não visa chegar a uma solução com justiça, mas sim dar a Israel a possibilidade de continuar a construir mais assentamentos. Essas negociações não vão levar a nenhum lugar bom para os palestinos. Elas começaram em agosto (de 2013) e, de lá para cá, 9.500 novas unidades habitacionais começaram a ser construídas em assentamentos em diferentes áreas da Palestina. Isso significa que Israel prossegue sua política de colonização e de construção de fatos consumados para inviabilizar na prática a existência de um Estado palestino.”

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/Jamal-Juma-Primavera-arabe-nao-ajudou-Palestina-Situacao-e-insustentavel/6/30098

 


Coordenador do Stop the Wall debate luta do povo palestino em Porto Alegre

Por: Marco Aurélio Weissheimer Publicado em: 20/01/2014

“A presença de Juma em Porto Alegre este ano tem um significado especial. A ONU declarou 2014 como o ano de Solidariedade com o Povo Palestino. Jamal Juma viajará pelo Brasil, Uruguai e Argentina para promover a campanha para o décimo aniversário da decisão do Tribunal Internacional de Justiça (CIJ) contra o muro construído por Israel nos territórios ocupados palestinos. O Stop the Wall está dirigindo a campanha “CIJ 10”, junto com um comitê gestor composto de políticos, intelectuais, acadêmicos e palestinos de várias orientações políticas.

A campanha quer promover novas iniciativas da sociedade civil e dos governos para implementar o parecer do Tribunal Internacional de Justiça sobre Muro e aplicar o direito internacional e os direitos humanos na Palestina.”

http://www.sul21.com.br/jornal/coordenador-stop-wall-debate-luta-povo-palestino-em-porto-alegre/

 


image attached: 
x

Select (Ctrl+A) and Copy (Ctrl+C)