Notícias

Sul21 numa conversa interessante com os fotógrafos paranaenses Leandro Taques e Rafael Oliveira que tiraram as fotos para a exposição “Retratos da Resistência – Um povo que luta para não desaparecer”. O acervo conta com uma série de fotografias sobre a Palestina que foram tiradas durante sete dias de abril do passado, quando os brasileiros estiveram na região. A exposição está nesse momento na Assambleia Legislativa de Rio Grande do Sul.

 

Sul21 numa conversa interessante com os fotógrafos paranaenses Leandro Taques e Rafael Oliveira que tiraram as fotos para a exposição “Retratos da Resistência – Um povo que luta para não desaparecer”. O acervo conta com uma série de fotografias sobre a Palestina que foram tiradas durante sete dias de abril do passado, quando os brasileiros estiveram na região. A exposição está nesse momento na Assambleia Legislativa de Rio Grande do Sul.

 

O governo de Rio Grande do Sul entregou nesta terça-feira uma carta aberta ao embaixador da Palestina Ibraim Alzeben para declarar como “sem objeto” o protocolo assinado com a subsidiária da israelense Elbit Systems, a AEL Sistemas, localizada em Porto Alegre.

Em Jerusalém, os confrontos diários com as forças de ocupação israelensescontinuaram na cidade velha, Shu'fat, Monte das Oliveiras, Silwan, Al Isawiya, Beit Hanina, Athouri, campo de refugiados Shu'fat, Sur Baher e Jabal Al Mukaber.

 

Desde julho deste ano seis palestinos foram mortos e 900 presos em Jerusalém. Somente no mês de novembro, 111  pessoas foram presas em Jerusalém, além de milhares de feridos.

 

A ocupação israelense está aumentando seus crimes contra o povo palestino e suas propriedades com ataques que variam entre roubo de terras, ataques racistas cada vez mais brutais por colonos e uma série interminável de ações judiciais e administrativas. Tais ações são claramente racistas, aprovadas e implementadas pelo governo de ocupação, especialmente em Jerusalém. Abaixo está um resumo de alguns destes ataques que têm sido documentados.

O BNC, Comité Nacional Palestino pelo BDS, lançou uma petição protestando pelo facto de que os contratos para a reconstrução dos estragos causados por Israel em Gaza no verão passado vão ser atribuídos pelas Nações Unidas a empresas israelitas, o que significa uma verdadeira incitação à repetição de novos massacres.

Repressão-Agressão-Destruição-Expulsão-Punição colectiva

Tel: + 972-2-2971505

Fax: + 972-2-2975123
 
Para contatar Stop the Wall por e-mail, por favor, escreva para: global@stopthewall.org
 

Embora ainda profundamente cúmplice em perpetuar a ocupação israelense e em permitir que a sua comissão cometa graves violações do direito internacional, a União Europeia tomou recentemente uma série de medidas que podem indicar um tendência crescente para sanções contra Israel pelo seu fracasso em iniciar  um acordo pacífico com a Autoridade Palestina.

Há 25 anos, o Muro de Berlim veio abaixo. O célebre discurso de John F. Kennedy “Eu sou um berlinense” fez desse muro o símbolo perfeito que o Ocidente escolheu para encarnar o “outro” contra o qual ele se bateu durante décadas, justificando inúmeras guerras, o apoio a ditaduras, a tortura no mundo todo e a repressão interna. O dia 9 de novembro de 1989 marcou o fim da era da Guerra Fria e o início da era do “choque de civilizações”.

Oakland fez história uma vez mais com uma grande vitória BDS pela Palestina, contra a companhia marítima israelita Zim.

O Zim Pekin que se dirigia para o porto de Oakland foi reencaminhado directamente para a Rússia para evitar perturbações no terminal SSA. Pela primeira vez, um navio israelita foi completamente desviado antes de ter alcançado o seu porto de destino.

Enquanto escrevo este artigo, bombas caem ao nosso redor.

A eletricidade é extremamente restrita, a água dificilmente está disponível, há barulhos assustadores de bombardeios, mísseis, aviões e explosões constantes.

Fico acordado à noite, com medo, aguardando os bombardeios; acordado de dia, ajudando os feridos, procurando alimentos, remédios, enterrando nossos mortos e à procura das ruínas do que foram outrora casas de família.

Um manifesto com mais de 80 assinaturas de organizações da sociedade civil e de ativistas políticos pede ao governo brasileiro medidas mais enérgicas em relação à Israel como forma de sanção pelos ataques à Faixa de Gaza.

Com mais de uma semana do início dos ataques de Israel ao povo palestino e com ameaças reais de uma escalada da agressão para os países vizinhos, vemos aumentar o número de pessoas em nosso país lamentando à distância este conflito com profundas raízes históricas.
 

Intelectuais de diversos países divulgaram uma carta aberta em que pedem por embargo militar a Israel como forma de pressionar pelo fim das agressões e da ocupação na Palestina. Segundo o documento, as trocas comerciais e militares com o país financiam o regime israelense que nega direitos ao povo palestino.

Os principais juristas internacionais e redes legais de todos os continentes, entre eles: relatores especiais da ONU, ex e atuais juízes, professores de direito, bem como as associações profissionais nacionais e continentais; convidam o Secretário Geral das Nações Unidas, Ban-Ki Moon e demais líderes mundiais a tomar “ações concretas “contra o Muro de Israel na Cisjordânia ocupada.

Coordenação dos Movimentos Sociais do Brasil pede a suspensão do acordo com a Elbit Systems assinado pelo governo do Rio Grande do Sul e exige um embargo militar imediato a Israel

10/05/2013

 

Coordenação dos Movimentos Sociais

 

Nos últimos anos, cada vez mais países vetam negociações com companhias que violam direitos humanos e resoluções da ONU

 

No domingo pasado foi encerrada a Cúpula dos Povos da America Latina, Caribe e Europa, realizada em Santiago do Chile paralelamente à Cúpula CELAC – União Europeia (UE).

 

Movimentos, sindicatos e organizações de toda América Latina e Europa participaram deste encontro para denunciar a contínua exploração colonial por parte da UE na América Latina e discutir ações de luta para reestabelecer as relações entre ambos continentes.

 

x

Select (Ctrl+A) and Copy (Ctrl+C)